Coisas da Política: O Cenário da Sucessão do Prefeito de Belém em Pauta

Richard Kill
Richard Kill
9 Min Read

“Análise de João Salame: Os Bastidores da Sucessão do Prefeito de Belém e as Articulações Políticas em Jogo”

Caros leitores, nesta edição de “Coisas da Política”, trazemos a análise do conhecido jornalista e ex-deputado estadual João Salame sobre as últimas notícias dos bastidores políticos que cercam a sucessão do prefeito Edmilson Rodrigues, do PSol, na cidade de Belém.

Uma das questões centrais abordadas por Salame é o prazo dado pelo governador Helder Barbalho para que Edmilson Rodrigues recupere sua imagem e conquiste seu apoio. A relação entre o prefeito e o governador tem sido alvo de especulações, e a postura de Barbalho pode ser determinante para os rumos da sucessão municipal. Salame analisa os desafios que o prefeito enfrenta nesse processo, destacando a importância de um apoio político sólido para consolidar sua posição.

O jornalista também dedica espaço para avaliar os nomes com a melhor chance de obter o apoio do governador no MDB, partido que desponta como uma das forças políticas relevantes no contexto da eleição em Belém.

Além disso, em sua coluna, João Salame explora as demais articulações políticas que estão movimentando o cenário paraense. Portanto, convido todos a acompanharem atentamente essa coluna, que promete trazer informações relevantes e análises perspicazes sobre o panorama político paraense.

IRREVERSÍVEL

Nos círculos mais próximos ao governador Helder Barbalho (MDB), a situação política do prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues (PSol), é considerada praticamente irreversível. O tempo dado para que ele pudesse recuperar sua imagem junto à opinião pública está esgotando. E a sensação generalizada é que ao invés de melhorar, a popularidade piorou.

SINTOMAS

A ausência do prefeito no anúncio feito em Brasília pelo presidente Lula e o governador a respeito da realização da COP 30, em Belém, e o programa de televisão no Horário Partidário do Podemos, onde o deputado estadual Igor Normando desancou com a administração de Edmílson, são ilustrativos do atual estágio em que se encontra a aliança.

DISTANCIAMENTO

Na última sexta-feira, prefeito e governador teriam uma reunião, que foi cancelada. Helder viajou a tarde para Brasília para se reunir com o presidente e anunciar a escolha de Belém para sediar a COP. Edmilson sequer ficou sabendo. A insatisfação não verbalizada nos corredores da prefeitura é pelo fato de Edmilson ter sido o único prefeito de capital que apoiou a candidatura de Lula. E justamente num momento tão importante como esse não apareceu na foto.

PODEMOS

Diante desse cenário cresce a possibilidade de Igor Normando, que comanda as poderosas Usinas da Paz, apresentar sua candidatura a prefeito. Aliás, já está com discurso de candidato. A hipótese de o senador Zequinha Marinho assumir o comando do Podemos criou um pretexto excelente para o deputado deixar o partido e migrar de vez para o MDB, para ser candidato escorado na boa popularidade do governador Helder Barbalho.

REARRUMAÇÃO

Diante da possibilidade de Igor Normando (foto abaixo) vir a ser o candidato do MDB, o deputado estadual Zeca Pirão (MDB), que também sonha com a ideia de disputar a prefeitura da capital e está bem colocado nas pesquisas, já pensa na possibilidade de se deslocar para outro partido da base aliada do governador. Na base do quem estiver melhor… Claro, tudo se o chefe concordar.

DEMARCAR

A ala mais à esquerda do PSol avalia que além dos problemas administrativos, Edmilson não consegue demarcar com ninguém. Com o governador, com os grandes proprietários do transporte coletivo, enfim, não apresenta um programa que o diferencie de outros segmentos políticos, o que acaba por liquidar um dos poucos predicados que tem, sua combatividade, que era admirada pelos setores mais progressistas da cidade.

INCHAÇO

Além do problema da limpeza urbana, que Edmilson aposta numa solução em breve, o inchaço na folha salarial da saúde está atormentando a gestão. Se no governo de Zenaldo Coutinho (PSDB) os gastos com saúde estavam em 25%, no atual já chega a 40%. E vem o reajuste do piso salarial dos enfermeiros por aí, o que projeta novos conflitos com o funcionalismo.

COMBATE

Crítica dos rumos que a gestão do seu companheiro Edmilson Rodrigues vem tomando, a vereadora professora Silvia Letícia (PSol) tem feito pronunciamentos contundentes. Defende o rompimento com o MDB, o enfrentamento com os grandes proprietários do transporte coletivo e o aprofundamento das relações com os setores populares. Avalia que os setores de esquerda sairão fragilizados da eleição se não demarcarem seu campo de atuação.

AMPLIAÇÃO

Já os setores mais moderados, que ainda alimentam a possibilidade de apoiar o prefeito, entendem que ele precisa sair da redoma que o cerca e ampliar seu governo para outros setores. Que a ausência dessa política mais flexível é que tem feito, na prática, o governador se tornar uma espécie de prefeito da capital. Ou seja, Ed não está agradando à esquerda e à direita. Daí a alta rejeição.

ANISTIA NÃO!

Ainda na Câmara Municipal de Belém, o vereador Emerson Sampaio (PP)- foto acima -, considerado por muitos como um dos mais sérios e atuantes do parlamento, fez duro pronunciamento semana passada condenando a PEC da Anistia, que o Congresso Nacional ameaça aprovar. Pela proposta, nada menos que 22 bilhões de reais de multas deixarão de ser recolhidas aos cofres públicos pelos partidos que fraudaram as cotas de negros e mulheres.

BILHÕES

Assembleia Legislativa do Estado do Pará aprovou mensagem enviada pelo governador autorizando o Executivo a contrair empréstimos da ordem de R$ 3 bilhões. A fortuna é para ser investida em obras de infraestrutura, sobretudo drenagem e pavimentação, em todos os municípios paraenses. O Governo do Estado se prepara para atuar pesado no verão deste ano e do ano que vem.

MINERAÇÃO

Secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, o ex-deputado Paulo Bengtson (foto acima) foi eleito vice-presidente do Fórum Nacional dos Secretários Estaduais de Minas e Energia, no último dia 23. A entidade tem muito poder junto ao governo federal, no estabelecimento de políticas públicas para o setor. O presidente é o secretário de Energia e Economia do Mar, do Estado do Rio de Janeiro, Hugo Leal.

COP 30

No último dia 18, a Organização das Nações Unidas confirmou que Belém sediará a Conferência das Partes (COP) 30. Será em novembro de 2025. É o mais importante evento de mudanças climáticas do Planeta. Centenas de líderes mundiais estarão presentes e a capital dos paraenses se tornará um holofote para o mundo. Helder Barbalho tem se articulado no plano internacional, nacional e regional para viabilizar o evento, carimbando sua atuação como a de maior protagonista da COP 30.

RACISMO NÃO!

Maravilhosas as manifestações contra o racismo que ocorrem em todas as partidas de futebol que estão sendo disputadas no País, em solidariedade ao craque brasileiro Vini Júnior. Pessoas que praticam esse crime agem de forma abjeta. São verdadeiras excrescências humanas. É preciso varrer o racismo não apenas dos campos de futebol, mas de toda a sociedade!

Share This Article
Leave a comment